sábado, 9 de janeiro de 2016

PERDIDA EM MIM


Lost in Me


A última coisa que me lembro é ter bebido no Brady’s e tentado evitar o contato visual com a longa queda da minha vida — o lindo e inatingível Maximilian Hallowell. 
Disseram-me que foi há um ano, mas não tenho nenhuma memória de qualquer coisa desde então.
 O que tenho é esse anel em meu dedo, que Max diz que me deu e este corpo muito mais fino do que sonhei toda a minha vida. 
Com exceção de um caso de amnésia retrógrada, tudo parece quase...

 Perfeito.
Quanto mais fundo mergulho neste novo mundo — de planejar um casamento com um homem que não me lembro de namorar, tentando executar um negócio que não me lembro de iniciar — mais claro se torna que nada é como parece. 


Eu tenho a vida que sempre quis ou é uma fachada sustentada por segredos que sequer sei que tenho?
Eu preciso de respostas antes de me casar com Max e a única pessoa que parece tê-las é o bravo, tatuado e roqueiro, sexy como o pecado, 

Nate Crane. 
E Nate me quer para ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário